quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Protesto dos alunos

 Clique na foto para ampliar.

12 comentários:

Anônimo disse...

Caraca! O magníficou se justificou desta forma!!!

Anônimo disse...

O bandejão acho essencial, acredito que ainda nestes 12meses restantes desta administração isto vai rolar.

Anônimo disse...

Pra quê ligar p aluno?
Eles só representam 15% nas eleições!

.viX. disse...

Bom protesto.
Dizer que a culpa é nossa é estar de brincadeira, né?
Como disseram no protesto, não temos um Engenheiro Civil como responsável técnico. E também não possuimos arquitetos, aliás, nem Arquitetura tem na UENF. Será que devemos então deixar nas mãos dos estudantes de Engenharia Civil a entrega de algum projeto? Só espero que não reclamem depois... fizemos o possível.
Somos alunos e nem todos de Engenharia Civil, e não Arquitetos e Engenheiros, e muito menos responsáveis por tal projeto...
Francamente, jogar a culpa em cima de outrem é fácil, assumir que é difícil...

Sem mais...

Julia Barbosa disse...

Não fico admirada com a falta de preparo desse Reitor.

a culpa é dos alunos por não ter infra-estrutura, por não ter bolsas de valor justo, de não poder usar os espaços PÚBLICOS desta universidade...enfim ...ele é tão despreparado que ao menos apoia a luta de seus pares pelo reajuste salárial...francamente!!

Anônimo disse...

Sou a favor de um alojamento para estudantes da UENF na república da Croácia pois, do mesmo modo que os nobre estudanteszinhos de classe média alta da UENF afirmam que os restaurantes populares de Garotinho são um medida populista, oferecer comida e acomodação para filhinhos da classe média e alta tb é uma ação populista.

Anônimo disse...

E as notas estão terríveis! Querem é sombra e muita farra.

Uenfezado disse...

Sem querer me meter numa área dos discentes, mas, como já participei de um DCE acho que posso dar um pitaco:
Desde que entrei na UENF nunca pude observar um movimento estudantil ativo. Claro, em algumas momentos o DCE realmente atingiu algumas conquistas importantes como foi a luta do Restaurante Universitário (protestos, acampamento, refeições comunitárias, etc).
O que me refiro, é sobre a constância. Hora há mobilização e logo em seguida ficam longos períodos sem atividade. Onde estudei, para se ter uma idéia, cada curso possuía seu centro acadêmico! E na Uenf?Acho que só a agronomia tem um!
O que percebo é uma completa alienação dos alunos (pelo menos da grande parte) e uma completa falta de interesse pelos destinos da universidade e a educação de modo geral.
Alguns alunos protestam contra a greve,pelo fato de atrasarem alguns meses a sua formatura. Tudo bem, ninguém gosta de atrasar a vida dos alunos, mas eles esquecem que o canudo que levarão para o resto da vida tem reconhecimento nacional pela sua qualidade; e qualidade essa conseguida pelo esforço de servidores que são esquecidos pelo governo do estado e que carregam uma defasagem salarial de 82% ao longo de vários anos!
Conversando com outro colaborador do blog, Platão, dia desses, falávamos que na "nossa época" haviam muitas demandas a serem supridas (democracia, giz nas salas, educação pública gratuita, papel higiênico nos banheiros, eleições...e por aí vai)!
E hoje? As demandas atuais motivam a organização estudantil?

Julia Barbosa disse...

Bem vamos a alguns fatos,

o movimento estudantil da UENF não é aparelhado a nem um partido político, funciona como um movimento social, por isso fica dificil uma constância como vemos em DCE´s da UERJ e UFRJ por exemplo - que se mantem constantes - mas que não estão focados apenas na melhoria da universidade pública mas também em conquistas para partidos politícos.
isso sem falar na dificuldade de mobilização em uma universidade que valoriza o aluno "cego surdo e mudo"..que entra e sai da sala de aula ou do laborátorio (quando tem bolsa) sem ver sem falar e sem escutar absolutamente nada. O que quero dizer com isso? Ora, ou o aluno se mobiliza politica e socialmente pelas suas demandas ou se FORMA. escolha nada justa, não?
Eu sou a favor da mobilização estudantil, gostaria que fosse constante sim, mas não podemos negar todas as conquistas desse movimento mesmo com toda dificuldade enfrentada durante todos esses anos....

por fim, gostaria de dizer que os alunos que frequentam as discussões no DCE em grande maioria são sensíveis as demandas dos funcionários e docentes..aliás qualquer pessoa coerente será tb sensível,afinal é legitima a mobilização por reajuste salarial, ainda mais no pé em que anda a nossa universidade...não desvalorizem essa mobilização estudantil que mesmo durante a greve se reorganizou e discute os problemas da UENF como um todo...inclusive as demandas de vocês servidores!!!

Ana Carolina disse...

Deveriam motivar sim. Parece que a greve conseguiu atingir alguns alunos e motivá-los a participar do movimento estudantil. Sempre ouvi dizer que o CCT não participa, mas vários alunos das Engenharias se mobilizaram. Só esperamos que continuem assim e que criem seus CAs. Mas o pior momento até agora foram as reuniões com Luiz Edmundo. Semana passada, lá no Rio, ele disse que se a UENF tem banheiros quebrados, falta papel, bebedouros, não tem alojamento e bandejão a culpa é do reitor, pois ele como secretário não tem nada a ver com isso. Já essa semana, na UENF, quando questionada sua fala na frente do Almy, se levantou ficou irritado, o reitor se embaralhou, começou a falar coisas sem nexo... Nosso magnífico reitor teve a oportunidade de se justificar e até jogar a culpa em alguém, mas o que fez foi dizer que paga aos alunos uma maravilhosa bolsa e que entregou um DCE novinho à universidade. Ridículo. E o secretário ainda diz:"Coitados dos alunos. São os maiores prejudicados" , "Tenho um compromisso com a UENF, pois fui amigo de Darci Ribeiro". Imagina só se não tivesse compromisso algum.......

Uenfezado disse...

Prezada Julia,
De forma nenhuma desvalorizamos a participação dos discentes! Minha colocação, apesar de ser um pouco provocativa, não quis depreciar o trabalho e a luta dos que se dedicam pela causa estudantil.
Eu e Platão, que somos de outra época e de outras universidades públicas,é que estranhamos o nível de consciência local, mas acredito também que esse quadro não seja exclusivo da Uenf.
Com os nossos pares, a coisa não é muito diferente!
Obrigado por seus comentários, o espaço está aberto!

Anônimo disse...

O DCE UENF tem, primeiro, pintar suas paredes de branco (como na pintura original) a apagar o psicodelismo babaca das paredes externas e das mentes de seus "dirigentes".
O DCE tem que acordar para a realidade da vida, saber que o comunismo/socialismo significa apenas o sonho de meia dúzia de psicopatas/sociopatas que, de mal com a vida e consigo mesmos, querem que a sua "verdade" predomine sobre as demais.
O DCE tem que articular campanhas contra o uso de drogas e bebidas alcoólicas, de modo a esclarecer, principalmente os calouros, sobre os perigos de se tornar um viciado.
O DCE tem que deixar de ser um refúgio para rebeldes sem causa, filhinhos de papai que pregam pela anarquia, pela universidade sem muros, pela "liberdade", mas que na verdade não implementam tais conceitos em suas vidas particulares.
Os estudantes da UENF, assim como de qualquer outra IES necessitam de representantes com mentalidade moderna e saudável. Nada de meninos e meninas metidos a revolucionários, mal vestidos, sujos, cabeludos, fumantes. Isso foi coisa de outras épocas, ACABOU.