quarta-feira, 8 de setembro de 2010

GREVE DE PROFESSORES E FUNCIONÁRIOS DA UENF SERÁ TEMA DE AUDIÊNCIA

Leitor nos enviou a mensagem e fomos conferir:


A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) vai realizar nesta quarta-feira (08/09), às 10h, na sala 316 do Palácio Tiradentes, uma audiência pública para discutir a greve de professores e funcionários da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf). “Para os alunos, os transtornos são sempre incalculáveis. É preciso que o impasse entre governo e funcionários seja resolvido o mais rápido possível e não haja mais prejuízos para os estudantes”, disse o presidente da comissão, deputado Comte Bittencourt (PPS). Desde o dia 16 de agosto a universidade está em greve e mais de 4 mil alunos sem aulas. Os profissionais exigem reajuste salarial e melhorias nas condições de trabalho.
Foram convidados para a reunião o reitor da universidade, Almy Junior, o secretário de Ciência e Tecnologia do Estado, Luiz Edmundo Horta, representantes do Sindicato dos Trabalhadores das Universidades Públicas do Estado (Sintuperj) e da Associação dos Docentes da Uenf (Aduenf).


9 comentários:

Anônimo disse...

O negócio é apertar esta turma para o reajuste de 82%!
Estado rico, tá com dinheiro para financiar a COPA de 2014!
QUEREMOS O NOSSO!
REPOSIÇÃO SALARIAL, 82% JÁ!

Anônimo disse...

O salário do professor estadual para o segundo grau do Estado do Rio de Janeiro é de R$765,66 (bruto) e o líquido é 680,00.
Está na cara que a prioridade do Governo Cabral é a COPA de 2014!

REAJUSTE SALARIAL JÁ !! 82% JÁ!

Anônimo disse...

Boa tarde, já tem notícias desta reunião?!

osama disse...

dificilmente meus comentarios sao colocado no site pos sempre falo a verdade.

mas pelo o menos esse!!!
so gostaria de saber o que deu hoje na reuniao?

Anônimo disse...

COMISSÃO QUER GARANTIR REAJUSTE PARA DOCENTES DA UENF

A Comissão de Educação da Assembleia Legislativa do Rio (Alerj) vai intermediar um encontro entre representantes da Universidade Estadual do Norte Fluminense (Uenf) e a presidência da Alerj para que seja discutida a possibilidade de uso de uma emenda de R$ 10 milhões, que aprovada pela Frente Parlamentar em Defesa das Universidades Estaduais da Casa e que seriam destinados à instituição, mas não foram utilizados pelo Executivo, que fez um contingenciamento de despesa. A iniciativa foi anunciada nesta quarta-feira (08/09), durante audiência pública da comissão que discutiu a greve de professores e funcionários da universidade, em curso desde o dia 16 de agosto. De acordo com o presidente da comissão, deputado Comte Bittencourt (PPS), como o orçamento é autorizativo, o Governo remaneja os recursos como desejar. “Vamos tentar, mais uma vez, que essa emenda, que foi cancelada e seria justamente destinada a recomposição de parte da perda salarial dos professores, seja utilizada em favor da universidade”, afirmou o parlamentar.

Ouça o deputado Comte Bittencourt: http://alerj.posterous.com/presidente-da-comissao-de-educacao-deputado-c-0

De acordo com o presidente da Associação dos Docentes da Uenf (Aduenf), Marcos Pedlowski, a greve foi motivada por uma série de equívocos cometidos pelo Governo do estado. “O primeiro foi não tratar com as representações sindicais a questão da reposição das perdas salariais, que nós temos acumuladas nos últimos dez anos. Ao longo dos últimos três anos nós tentamos abrir essas negociações, mas não conseguimos e isso foi agravado com a mensagem que foi enviada pelo Governo concedendo 22% de reposição apenas para os nossos funcionários de apoio. Isso é complicado, porque nós temos apenas um plano de cargos. Sendo assim, este aumento criou um problema grave na estrutura acadêmica da instituição”, explicou Pedlowski.

Ainda de acordo com o presidente da associação, se a emenda de R$ 10 milhões for liberada imediatamente, a greve poderá ser suspensa. “Nós queremos que esse dinheiro seja retornado para a Uenf para que ele cumpra sua finalidade, que é conceder uma reposição emergencial para os professores. Outra questão é a garantia da proposta orçamentária da instituição para o ano de 2011, que engloba uma reposição das perdas salariais em 49%. Também queremos que seja feita uma discussão sobre o percentual que o regime de dedicação exclusiva representaria em nosso salário”, disse. Segundo o secretário de Estado de Ciência e Tecnologia, Luiz Edmundo Horta, a questão orçamentária fica a cargo da Secretaria de Estado de Planejamento e Gestão (Seplag). “Essa decisão não é uma coisa automática, não é porque há recursos que o critério muda. O critério da Seplag foi baseado em uma comparação com a Uerj. O resultado considerou os salários como compatíveis. Então não é a questão de ter mais ou menos orçamento que vai mudar o critério estabelecido. Um coisa é critério, outra é ter recursos”, explicou o secretário.

Representantes do Sindicato Estadual dos Profissionais de Educação de São João de Meriti (Sepe), que estão em greve desde o dia 17 de agosto, também compareceram à audiência e pediram a ajuda da comissão para que haja a retomada da negociação com o prefeito do município, Sandro Matos.
(texto de Vanessa Schumacker)

http://www.alerj.rj.gov.br/common/noticia_corpo.asp?num=36625

Anônimo disse...

http://www.alerj.rj.gov.br/common/noticia_corpo.asp?num=36625

Anônimo disse...

Esses 10 milhôes é só pra professor?

pedlowma disse...

Prezados,

Estes 10 milhões deverão ser usados para a recuperação dos salários de todos os servidores e não apenas dos professores. Pelo menos esta é a posição que a ADUENF vem defendendo desde que os recursos foram aprovados.

Atenciosamente,

Marcos Pedlowski

Anônimo disse...

Parabéns à ADUENF, que ao contrário da Reitoria vem fazendo as coisas conforme decisões acordadas em assembléia!
Estamos em uma democracia...alguns estão esqueçendo disto!