segunda-feira, 15 de março de 2010

Ranking Veja das melhores cachaças do Brasil






VEJA lançou seu primeiro ranking das melhores cachaças do Brasil, em duas categorias: envelhecida e não envelhecida.

reportagem completa no BLOG Roberto Santiago.

2 comentários:

Prof. Frederico disse...

A revista Veja, pelo menos, não fez como a Playboy, que misturou as duas variedades da bebida num único ranking. Dessa forma, ela pelo menos, preservou as cachaças novas das envelhecidas num julgamento específico.

O Ranking das cachaças novas está muito bem selecionado. Sobretudo pela aparição da Santo Grau de Paraty, que é uma cachaça maravilhosa (antes eu só havia visto a de Coronel Xavier) e que é produzida pelo irmão de Eduardo Mello, produtor da Coqueiro. Eu só lamentei a falta da Corisco. Mas, essa divisão já é um grande salto em relação à tabela anterior.

Sobre o Ranking das envelhecidas, realmente eles seguiram o clichê. Eu, particularmente, colocaria a Armazem Vieira em primeiro. As outras cachaças, como a Anísio Santiago e a Canarinha tem mais sabor de bálsamo do que de cana, propriamente, o que não me agrada muito. Porém, isso já é de se esperar em quem procura uma cachaça envelhecida.

E, mais uma vez, parabéns pelo post e pela divulgação da cachaça

Prof. Frederico disse...

A revista Veja, pelo menos, não fez como a Playboy, que misturou as duas variedades da bebida num único ranking. Dessa forma, ela pelo menos, preservou as cachaças novas das envelhecidas num julgamento específico.

O Ranking das cachaças novas está muito bem selecionado. Sobretudo pela aparição da Santo Grau de Paraty, que é uma cachaça maravilhosa (antes eu só havia visto a de Coronel Xavier) e que é produzida pelo irmão de Eduardo Mello, produtor da Coqueiro. Eu só lamentei a falta da Corisco. Mas, essa divisão já é um grande salto em relação à tabela anterior.

Sobre o Ranking das envelhecidas, realmente eles seguiram o clichê. Eu, particularmente, colocaria a Armazem Vieira em primeiro. As outras cachaças, como a Anísio Santiago e a Canarinha tem mais sabor de bálsamo do que de cana, propriamente, o que não me agrada muito. Porém, isso já é de se esperar em quem procura uma cachaça envelhecida.

E, mais uma vez, parabéns pelo post e pela divulgação da cachaça.