quarta-feira, 30 de junho de 2010

Cantando a pedra

Um anônimo cantou a pedra em uma postagem abaixo:
"Vamos receber um tostão furado do governo agora. A administração está negociando uma bolsa via Faperj até 2011 e novos planos de carreira com DE e sem DE."


Como na página da Alerj não aparece nenhuma emenda para ser votada amanhã...o aumento dos docentes foi para o brejo!

4 comentários:

Anônimo disse...

O esquema agora é rir pra não chorar, ou sair.

Anônimo disse...

Viva a transparência! O reitor eleito e todos seus grupo de trabalho deveriam ter colocado na campanha para reitoria que eles trabalhariam assim. Se for verdade,fiquemos atentos nas próximas eleições.

pedlowma disse...

Prezados,

Abaixo a lista dos nomes dos deputados que votaram contra e a favor da concessão dos 22% também para os professores da UENF e da UERJ. Notem que nesta votação, a concessão venceu por 26 a 21. O que aconteceu foi que após isto, o deputado Jorge Picciani fechou a sessão e o governador Sérgio Cabral mandou o secretário Regis Fischner da Casa Civil até a ALERJ para fechar questão contra a extensão dos 22%. Assim, ao contrário do que alguns de forma mentirosa levantam, os sindicatos foram até a ALERJ lutar para que pelo menos os 22% fossem dados aos professores, e quem interveio para fechar questão contra foi o governo!

Votaram “Sim” os deputados: Alessandro Molon, Altineu Cortes, Anabal, Armando José, Caetano Amado, Carlos Minc, Cidinha Campos, Comte Bittencourt, Doutor Wilson Cabral, Fernando Gusmão, Flávio Bolsonaro, Gilberto Palmares, Inês Pandeló, Iranildo Campos, João Pedro, José Nader, Luiz Paulo, Marcelo Freixo, Marco Figueiredo, Marcos Soares, Paulo Ramos, Rodrigo Dantas, Sabino, Wagner Montes, Waldeth Brasiel, Walney Rocha.

Votaram “Não” os Deputados: Alessandro Calazans, André Corrêa, André Lazaroni, Aparecida Gama, Audir Santana, Christino Áureo, Coronel Jairo, Domingos Brazão, Edson Albertassi, Graça Matos, Graça Pereira, Jodenir Soares, Jorge Babu, Jorge Picciani, Marcelino D'Almeida, Nelson Gonçalves, Olney Botelho, Paulo Melo, Roberto Dinamite, Sula do Carmo, Tucalo.


E vamos guardar esses nomes para as eleições de Outubro!

Atenciosamente,

Marcos Pedlowski

PS: Notem que o PMDB votou todo contra a concessão dos 22% aos professores.

Anônimo disse...

E vamo que vamo... prestando mais atenção nos editais das federais... quem sabe uma vaga numa instituição que reconheça melhor seu membro.